Radisson Blu São Paulo 2017

Há exatamente 1 ano fiz uma viagem a São Paulo onde decidi explorar o distrito do Itaim Bibi pela primeira vez. Me encantei com a área de avenidas largas, suas variadas opções gastronômicas e o comércio de luxo espalhado pelo bairro. Por toda a minha estadia meu home away from from home, ou minha casa quando fora de casa, foi o Hotel Radisson Blu São Paulo. Fui muito bem recebido por toda a equipe do hotel e minhas impressões foram registradas em uma matéria publicada em 2016.

Percebo que muitos sites e blogs de viagem, talvez por querer sempre buscar e mostrar novidades a seus leitores, pouco fazem questão em retornar a hotéis por onde já tenham passado. Em contrapartida, acredito que retornar a hotéis previamente avaliados é uma ótima oportunidade, não somente para constatar mudanças, mas também para renovar visões que raramente permanecem estáticas com o passar do tempo.

Durante este último ano, tive a oportunidade de me hospedar em outros hotéis da bandeira Radisson pelo mundo, como o Radisson Blu Berlim e o Radisson Red Bruxelas. Ambos mantém o padrão de excelência em atendimento e hospedagem que há anos me tornou fã da cadeia. Noto que, apesar de fazerem parte de uma rede, cada estabelecimento mantém algo singular, o que faz com que cada hospedagem tenha seu toque especial. Seja esse toque a vista de suas suítes, ou paredes desenhadas por artistas locais, comidas típicas da culinária local no café da manhã, ou até mesmo o simples sorriso de seus funcionários, os hotéis Radisson sabem como cultivar em seus hóspedes o desejo de retorno a uma estadia futura.

 

Como é de costume com hotéis que me impressionam de alguma forma, tento sempre acompanhá-los em suas redes sociais. Durante o último ano, notei algumas mudanças no Blu, como o Radisson Blu São Paulo é carinhosamente apelidado. Desde sua nova linha de produtos de banho L’Occitane com fragrância de capim limão, a suas noites de happy hour musical, e ‘festas do pijama’ para crianças que queiram passar seu aniversário na companhia de pequenos amigos em clima descontraído, o Radisson Blu São Paulo cativa pela sua forma de acolher. Hóspedes são como habitantes de um espaço sofisiticado e discreto, onde o luxo maior é sentir-se bem, seja qual for o propósito da hospedagem.

Após 1 ano, as acomodações continuam claras, espaçosas e aconchegantes com seus vários tons em madeira (todos os quartos possuem varanda). O rooftop continua sendo um ponto de lazer acima da média para hotéis de categoria superior com sauna, e sua piscina e academia envidraçadas e com vista para várias partes da cidade. E o restaurante Badebec, onde é servido o café da manhã, permanece descontraído e repleto de funcionarios amáveis, que mesmo após 1 ano sem retornar, me reconheceram e me receberam com sorrisos e desejos para uma boa estadia. Não há como não amar ser acolhido desta forma, não é mesmo?

Gus Dantas, publisher gusdantaslife, hospedou-se no Radisson Blu São Paulo em junho de 2017.

 

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s